Mediação x Conciliação: resolução de conflitos e desobstrução da justiça

O momento atípico que estamos vivendo já causou crises em diversos setores. A justiça, ainda que com modificações, não parou, afinal, as demandas judiciais seguiram e até mesmo aumentaram o fluxo. Considerando este cenário, a mediação e a conciliação podem ser alternativas viáveis para a resolução de conflitos e para a desobstrução do judiciário. Você sabe a diferença entre elas?

O que é preciso para se tornar um conciliador ou mediador?

De acordo com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), é necessário preencher os requisitos exigidos por lei ou por outros atos normativos, inclusive editais e normas internas dos respectivos tribunais, para cada uma dessas funções. 

O conciliador deve ser capacitado na forma da Resolução CNJ n. 125/2010. Permite-se também a atuação do estudante de ensino superior como conciliador, desde que ele esteja capacitado na forma da Resolução. Já o mediador deve ser formado em instituição de ensino superior há pelo menos dois anos para, então, submeter-se à capacitação de que trata a regulamentação.

Ficou com dúvidas sobre o tema? Quinzenalmente, junto ao conteúdo abordado, o Pro Just responde os principais questionamentos em seu informativo. Para receber materiais especiais como esse, basta se cadastrar em – http://projust.adv.br/. Quer participar dos próximos conteúdos? Nos siga no Instagram @projustadvogados e vote nas enquetes! 

Por lá também é possível deixar perguntas para os nossos advogados, além de acompanhar as últimas notícias relacionadas ao direito trabalhista, previdenciário e cível. Clique nos posts abaixo e confira!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × três =