Transtornos mentais X Trabalho

Os problemas de saúde mental tem sido cada vez mais comuns no mundo. Aqui no Brasil, segundo uma pesquisa feita pela OMS em 2019, 86% dos brasileiros sofrem com algum transtorno mental, como ansiedade e depressão. Além disso é o país com o maior número de pessoas ansiosas, 9,3% da população.  

No ambiente de trabalho, segundo a International Stress Management Association (Isma-BR), 20% dos funcionários trabalham sob forte pressão, o que acaba afetando a saúde física e psíquica. Além disso 32% dos trabalhadores brasileiros sofrem com os efeitos do stress, um dos primeiros sinais da síndrome de Burnout. 

Estes dados provam as estatísticas de que os transtornos mentais estão entre as maiores causas de afastamento no trabalho no país. Segundo a Previdência Social, em 2017, 43,3 mil auxílios-doença foram gerados para pessoas com episódios depressivos. Por isso é necessário que as empresas falem mais sobre esse assunto e façam ações com seus funcionários auxiliando-os nessas questões.  

Mas o que pode levar o ambiente de trabalho a ser um motivo para esses transtornos mentais?  

A alta pressão que se coloca no funcionário, além de imposições de metas abusivas, jornada exaustivas de muito trabalho e cobranças. Esses são alguns dos vários motivos que podem levar o colaborador a desenvolver algum tipo de transtorno mental.  

O psicólogo e diretor técnico da Holiste Psiquiatra, Ueliton Pereira, em entrevista para a revista Proteção, alertou: “Além disso, o excesso de auto cobrança e uma tentativa desenfreada de querer responder a demanda de um ‘outro Institucional’ como forma de validar seu trabalho, ultrapassando assim seu próprio limite e negligenciando sua vida social e lazer, contribuem para estas estatísticas”. 

Como identificar esses transtornos? 

Os transtornos mais comuns neste ambiente são depressão, transtorno de pânico, ansiedade e síndrome de Bournout. E os sinais podem ser percebidos em momentos como coração disparado ao falar do chefe ou de alguma situação que remete ao trabalho, crise de ansiedade e/ou pânico no momento que têm que sair para ir trabalhar.  

“Cansaço excessivo físico e mental, dor de cabeça frequente, alterações no apetite e no sono, dificuldades de concentração, sentimentos de fracasso e insegurança e negatividade constante são possíveis sintomas de adoecimento” explica Ueliton Pereira. 

Como evitar ou reduzir? 

Para isso é necessário que a empresa e o funcionário trabalhem em conjunto, procurando deixar o ambiente de trabalho mais agradável e confortável. Como dito anteriormente, a empresa precisa investir em ações e campanhas que visem o bem-estar do funcionário.  

Já o colaborador deve avaliar o seu entorno e a sua postura dentro da empresa, preste atenção no comportamento dos que estão à sua volta em relação a você, principalmente de seus chefes, perceba se não há abusos, se houver converse com a empresa ou busque seus direitos.  

Cuide de você e da sua saúde! 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

oito + 15 =